Cirurgia Oral - Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial

Especialidade odontológica responsável pelo tratamento de problemas relacionados aos dentes e ossos da região da face. Trata desde a remoção de dentes inclusos (como o siso), até a realização de enxertos ósseos e posterior colocação de implantes, além de intervenções em alterações patológicas (como tumores), malformações estruturais e traumas dos ossos da face.

Traumatologia: politraumatismo de face. Utilizam-se fixações internas rígidas com placas e parafusos nos ossos para fraturas nos ossos da face.

O segmento da odontologia responsável pela avaliação e correção das injúrias cometidas na face é a cirurgia e traumatologia oral e maxilofacial.
Estas injúrias podem estar ligadas a uma ou mais estruturas da face dependendo do tipo de trauma cometido e sua intensidade. O trauma de face pode resultar numa alteração funcional e estética de poucas ou várias estrutras conjuntas da face. Boca, língua, lábios, olhos, pálpebras, dentes e ossos maxilares podem ter sérios danos em sua anatomia normal como cortes, lacerações e fraturas.

Etiologia do trauma: sua extensão e severidade variam muito, levando-se em conta a idade e as condições gerais de saúde do paciente. Normalmente, traumas automobilísticos respondem pelos epsódios de maior gravidade e podem envolver maior complexidade, mas outras injúrias podem advir da prática de esportes radicais, lutas de contato, perfurações por arma de fogo e quedas de própria altura naqueles pacientes com dificuldade de locomoção e estabilidade postural.

Cirurgia oral menor: remoção dentes inclusos, apicectomias, frenectomias, exodontias...

Implantodontia: planejamento e colocação de implantes nos ossos, os quais substituirão o lugar dos dentes perdidos.

ATM: cirurgia de acesso para tratamento de patologias na articulação e exames para o diagnóstico de lesões como artroscopia de ATM (articulação têmporo mandibular).

Patologia Cirúrgica: remoção de lesões. RX mostrando extensa lesão de aspecto cístico na mandíbula, do lado direito. O tratamento foi conservador, fazendo-se a marsupialização da lesão ao invés de sua enucleação.

Cirurgia Pré-Protética: retirada de fragmentos do osso ilíaco para enxerto nos maxilares, visando aumentar o rebordo alveolar, que poderá, então, suportar uma futura prótese sobre implantes ou repor osso em grandes fraturas.

Cirurgia Ortognática: correção de um caso de prognatismo mandibular. Cabe ao cirurgião planejar e executar as modificações das bases ósseas. O tratamento poderá ser finalizado pelo ortodontista.

 

A Cirurgia Ortognática é a sub-especialidade da cirurgia bucomaxilofacial que reune um grupo de procedimetos cirúrgicos que tem como objetivo principal a correção de deformidades dento-faciais, resultantes de algum tipo de falha no posicionamento sastisfatório das arcadas dentárias e ossos da face em relação à base do crânio interferindo na aparência estética dos pacientes e comprometendo muitas vezes o funcionamento correto dos maxilares.
As deformidades dento-faciais apresentam-se em dois tipos de classes principais, descritas na literatura científica, são elas:

Micrognatismo: A mandíbula (parte inferior) é muito pequena em relação a maxila (parte superior), este tipo de transtorno facial está na maioria das vezes relacionado com ronco noturno. Esta deformidade é conhecida como Classe II, de Angle.

Prognatismo: A mandíbula é maior do que a maxila. Esta deformidade é conhecida como Classe III, de Angle.
Excessos ou deficiências horizontais de maxila A maxila tem excesso ou redução no comprimento e/ou na largura, isto é, está fora do padrão no plano horizontal, podendo estar muito para frente ou para trás e ser muito larga ou muito estreita; ou conter duas dessas discrepâncias, simultaneamente.

A avaliação destas deformidades inicia-se com a observação cuidadosa da face. Em seguida de uma série de exames de imagem (fotografias, slydes, radiografias e tomografias) complementam o exame clínico trazendo dados pertinentes a estrutura óssea, além de documentar o caso para acompanhamentos posteriores. Programas de computador analisam as radiograifas e auxiliam a observação e medida entre pontos do crânio e da face indicando suas relações, são chamadas: cefalometrias computadorizadas.

A Cirurgia Ortognática é realizada em ambiente hospitalar, e o período de internação é relativamente curto.

Normalmente, a recuperação dos pacientes é completamente estabelecida em torno de 4 a 8 semanas, dependendo do caso.


Distração Osteogênica

Instalação de delicados aparelhos dentro ou fora da boca para realizar tais correções nas discrepâncias de tamanho dos ossos. Os ossos quando sofrem tracionameto orientado por aparelhos ortopédicos em determinados sentidos e com carga adequada são capazes de alongar-se, crescer. Então um osso pequeno poderia atingir uma tamanho considerado normal em relação aos outros. Principalmente em pacientes portadores de síndromes.

A chamada distração osteogênica usa aparelhos fixados diretamente aos ossos maxilares e que trouxe uma alternativa simples e conservadora para resolução das alterações de crescimento da face daqueles pacientes, que por inúmeras etiologias originam nos ossos da face relações desproporcionais.


  Referências: odontologika e Revista da APCD.