Homeopatia

Os remédios homeopáticos são compostos por uma dose infinitesimal de uma substância, a qual, em grandes quantidades, produz os mesmos sintomas que manifesta o paciente. O objetivo desta terapia é estimular os mecanismos de defesa do organismo para combater a doença.

Com a toma de doses mínimas - as misturas diluem-se até não restar nenhuma molécula da substância base - a homeopatia torna-se um método terapêutico totalmente inofensivo.

Como considerar a doença?
Hoje em dia e à luz de novos conhecimentos já se começa a considerar a doença como uma perda de harmonia. Uma perda de equilíbrio, no plano mais sutil (mente) influenciando ou reflectindo-se no mais denso (corpo). Certo é que, actuando sobre o plano mental corrigem-se deficiências no físico. No entanto, para podermos actuar sobre o plano mental há que desmontar ou desactivar previamente os desarranjos e obstruções que se produzem na mente. Ou seja a culpa e o medo.

Mas, como é que o corpo físico sofre as irregularidades produzidas na mente?
Sabemos que o corpo físico tem uma série de glândulas que são encarregadas de processos bioquímicos que permitem descodificar a informação que vem encapsulada por diferentes vias, umas externas, como a alimentação, e outras internas que provêm dos processos mentais. É obvio que a alimentação será sempre condicionada por um estímulo resultante dum processo mental. Ou seja, que a escolha dos alimentos pode ser desequilibrada, de acordo com a intenção oculta da mente. Quando a mente se altera, o primeiro que se afecta a nível físico é o cérebro e mais precisamente as glândulas fundamentais, o que se traduz em desarranjos hormonais que, por sua vez, alteram o equilíbrio de elementos no sangue e posteriormente no sistema nervoso.


Homeopatia em Odontologia

Terapêutica Homeopática na Clínica Odontólogica:

. Nas Infecções:
- Pyrogenium ou Putrescinium – CH30 a CH200
- Hepar sulfur – CH3 a CH200
- Arsenicum album – CH6 a CH200
- Belladona – CH3 a CH6
- Mercurius sol– CH3 a CH200

Modo de usar: Tomar 2 comprimidos, glóbulos ou 10 gotas de 2 a 3 vezes ao dia.


Nos abcessos:

Antes da formação de pus:
- Pyrogenium - CH6 ou CH30
- Belladona – CH6
- Hepar sulfur – CH6
- Arsenicum album – CH6

Quando há formação de pus:
- Belladona – CH6
- Mercurius – CH6

Quando o pus está formado:
- Hepar sulfur – CH6
- Belladona – CH3
- Mercurius solubilis – CH6

Modo de usar: Tomar 2 comprimidos, glóbulos ou 10 gotas de 2 a 3 vezes ao dia.


Tratamento do dente em que a polpa está gangrenada:
- Pyrogenium ou Putrescinium – CH6
- Arsenicum album – CH6

Modo de usar: Tomar 2 comprimidos, glóbulos ou 10 gotas 2 vezes ao dia.


Nas Pulpites:

Quando a dor do dente melhora pelo calor:
- Arsenicum album – CH3
- Magnesia phosphorica – CH6
- Belladona – CH3

Quando melhora pelo frio:
- Coffea – CH3

Modo de usar: Tomar 2 comprimidos, glóbulos ou 10 gotas de 2 a 3 vezes ao dia.


.Nas Odontagias ou na Dor:
- Plantago major – CH6 (com otalgia)
- Staphysagria – CH3 a CH6 (com cárie)
- Hypericum – CH6
- Belladona – CH6
- Phytolaca CH6 (TM- tintura mãe)

Modo de usar: Tomar 2 comprimidos, glóbulos ou 10 gotas de hora em hora.


Nas Extrações Dentárias:

No pré-operatório:
- Phosphorus – CH30
- China – CH6
- Hypericum – CH6

No pós-operatório:
- Arnica – CH6
- Hypericum – CH6
- Hepar sulfur – CH6
- Phytolaca – (TM – tintura mãe – em solução)
- Calendula – (TM – tintura mãe – em solução)

Modo de usar: Mandar preparar a solução em partes iguais colocar 4 gotas em ½ copo de água filtrada e fazer bochechos ou gargarejar 3 vezes ao dia.


Nos acidentes da Erupção do 3º Molar (dente do siso):
- Mercurius solubilis – CH6
- Massagem da região com: Calendula e Phytolaca – (em partes iguais). Fazer massagem da região com solução das mesmas, 3 a 4 vezes ao dia.
- Belladona – CH3

No Trismo:
- Cuprum metalicum – CH30 (com espasmos)
- Tetanotoxinum – CH6
- Aconitum – CH30 (com frio, nas paralisias e neuralgias)

Modo de usar: Tomar 2 comprimidos, glóbulos ou 10 gotas de 3 em 3 horas.


Nos Traumas Cirúrgicos:
- Arnica montana – CH30 (como no pré- operatório)
- Arnica montana – CH3 (como pós- operatório)
- Hypericum – CH3 (atingindo os nervos)
- Symphytum – CH1 ou CH6 ( nos traumas ósseos)

Modo de usar: Tomar 2 comprimidos, glóbulos ou 10 gotas de 3 em 3 horas.


Nos distúrbios gerais pelo nascimento dos dentes da criança:
- Belladona – CH3 (só)
- Chamomilla – CH30 (quando chora no colo)
- Cypripedium – CH30 (quando grita e chora)
- Belladona – CH3 ou CH6 (quando está impertinente)

Modo de usar: 2 gotas em solução hidroalcóolica a 10%, misturada em ¼ de água filtrada de 2 a 3 vezes ao dia.


Nas Fístula ou Processos Fistulosos:
- Pyrogenium – CH30
- Silicea – CH30

Modo de usar: Tomar 2 comprimidos, glóbulos 2 vezes ao dia.


Nas Cáries Dentárias:
- Fluor ou Fluor natrium – CH6

Modo de usar: Tomar 2 comprimidos ao dia ou passar em solução ou gel nas arcadas dentárias.


Nas Gengivites e Paradentoses:
- Puritrescinium ou Pyrogenium – CH6
- Arsenicum album – CH6
- Belladona – CH6
- Mercurius solbilis – CH6
- Hepar sulfur – CH6
- Ipeca ou Ipecacuanha CH3 : Mandar preparar 5 porções de Ipeca para 1 litro de água filtrada.

Modo de usar: Tomar 2 comprimidos, glóbulos 3 vezes ao dia.
Observação: Ipecacuanha – (solução) – fazer bochechos ou gargarejos de 3 a 4 vezes ao dia.


Neuralgias ou Nevralgias do Nervo Trigêmio:
- Aconitum – CH30
- Thuya occ – CH30

Modo de usar: Tomar 2 comprimidos ou glóbulos de 2 em 2 horas.


Nas Aftas:
- Borax – CH3 ou CH6 – (como curativo)
- Borax – CH30 ou CH200 – (como preventivo)
- Staphysagria – CH30 ou CH60 – (como curativo)
- Magnesia carbonica – CH3 ou CH6 – (na gravidez)
- Lachesis – CH30 – (na menopausa)
- Mercurium sol– CH6

Modo de usar: Tomar 2 comprimidos ou glóbulos 2 vezes ao dia. Pode-se também colocar o Borax sobre a região afetada de 2 a 3 vezes ao dia.


Nas Estomatites:
- Mercurius solubilis – CH3 ou CH6
- Chamomilla – CH3 ou CH6 – (na infância)
- Belladona – CH3 ou CH6
- Kali cloricum – CH3 ou CH6
- Borax – CH3 ou CH6
- Cinnabaris – CH6

Modo de usar: Tomar 2 comprimidos ou glóbulos de 2 a 3 vezes ao dia.


Nas Periodontites inflamatórias:
- Mercurius solubilis – CH3 ou CH6
- Hepar sulfur – CH3 ou CH6
- Acidum nitricum – CH3 ou CH6
- Silicea – CH30

Modo de usar: Tomar 2 comprimidos, glóbulos ou 10 gotas da solução em ¼ de copo de água em 2 a 3 vezes ao dia.


Nos Dentes inclusos:
- Magnesia carbonica – CH30
- Arsenicum album – CH30
- Arnica montana – CH30

Modo de usar: Tomar 2 comprimidos, glóbulos ou 10 gotas de 2 a 3 vezes ao dia.


Nos Abcessos de um modo em geral:
- Belladona – CH200 – (como preventivo)
- Belladona – CH3 ou CH6 – (no início)
- Mercurius – CH30 – (para retroceder)
- Hepar sulfur – CH3 ou CH6 – (para estravasar)

Modo de usar: Tomar 2 comprimidos, glóbulos ou 10 gotas de 2 a 3 vezes ao dia.


Nas Alveolítes:
- Mercurius solubilis – CH30
- Arsenicum album – CH5 ou CH6
- Silicea – CH30

Modo de usar: Tomar 2 comprimidos, glóbulos ou 10 gotas da solução de 2 a 3 vezes ao dia.


Nas Herpes Labiais:
- Natrum muriaticum – CH30
- Petroleum – CH30

Modo de usar: Tomar 2 comprimidos, glóbulos ou 10 gotas de 2 a 3 vezes ao dia.


Nas Hiperestesias da Dentina:
- Magnesia carbonica – CH30
- Hepar sulfur – CH30

Modo de usar: Tomar 2 comprimidos, glóbulos ou 10 gotas de 2 a 3 vezes ao dia. Pode-se também passar a solução com um cotonete embebido na mesma região dolorosa afetada.


Nas Hemorragias:
- Trillium pend – CH30 – (TM) – (como estético)
- Arnica – CH5
- Hammamelis virg. – CH1 – (quando o sangue arterial vivo)
- Millefolium – CH1 – (quando o sangue é escuro venenoso)
- Phosphorus – CH30
- China oficinalis – CH5 (como preventivo)

Modo de usar: Tomar 3 doses de cada, tomando-se alternadamente de 15 em 15 minutos. Pode-se também colocar um pedaço de algodão embebido na solução, na cavidade dental ou dentro do alvéolo, deixando 5 minutos, quantas vezes for necessário até parar o sangramento.


Epístaxes:
- Millefolium – CH1 ou CH3

Modo de usar: Tomar 2 comprimidos, glóbulos ou 10 gotas em solução, sendo uma vez pela manhã e outra à noite.


Nas Sinusites de origem dentária:
- Pyrogenium ou Putecinium – CH30 – (no caso de infecção)
- Oscilococcinum – CH30 – (no caso catarral)
- Hydrastis – CH3 ou CH6
- Thuya – CH30 – (nos casos de pólipos)
- Calendula – (TM) – CH3 – (para irrigação na cavidade sinusoidal)

Modo de usar: Tomar 2 comprimidos, glóbulos ou 10 gotas 2 a 3 vezes ao dia. Pode-se também a irrigação com a solução e soro- fisiológico para limpar a região de 2 a 3 vezes ao dia.


Nos casos Ortodônticos:
- Arnica – CH6 – (usada após o emprego de bandas)

Modo de usar: Tomar inicialmente 3 glóbulos cada 2 horas. Em seguida cada 3 horas, até desaparecer os sintomas desagradáveis.
Observações: Para as crianças de meses de idade ou até um ano. Dar sempre ¼ de comprimidos; ou 2 gotas da solução misturadas em ¼ de copo de água. Para as crianças em idade escolar de 1 a 7 anos. Dar sempre ½ comprimido ou 4 gotas de solução, misturadas sempre em ¼ de copo de água. Para as crianças ou jovens de 7 a 14 anos; pode-se dar 1 comprimido ou 5 gotas da solução misturadas em ¼ de copo de água. Para adultos à posologia geralmente é de 2 comprimidos ou 10 gotas da solução misturadas em ¼ de copo de água.


INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS EM ODONTOLOGIA HOMEOPÁTICA:

Nas dores dentárias:
- Dos Caninos: Staphysagria – CH30
- Dos Molares: Kreosotum – CH3
- Da Arcada Superior: Kreosotum – CH3
- Da Arcada Inferior: Causticum – CH30
- Do Lado direito: Fluoris acidum – CH30
- Do Lado esquerdo: Chamomilla – CH5
- Dores intermitentes: Antimonium tart. – CH5
- Depois da Obturação: Arnica – CH5
- Nas dores Pulsáteis: Belladona – CH3
- Na mudança de temperatura (agrava): Rhododendron – CH3
- Com vento frio: Aconitum – CH3
- Agrava aspirando ar frio: Causticum – CH30
- Quando melhora aspirando ar frio: Clematis – CH3
- Quando escovando os dentes: Lachesis – CH30
- Melhora com as bebidas quentes: Chamomilla – CH30
- Ao lavar a boca: Sulfur – CH30
- Ao comer: Mercurius dulcis – CH30
- Depois de comer: Rhododentron – CH5
- Antes das regras: Pulsatilla – CH30
- Durante as regras: Staphysagria – CH30
- Batendo os dentes: Mezereum – CH30
- Com muita salivação: Mercurius dulc. – CH5
- Fumando: Spigelia – CH3
- Depois do sono: Causticum – CH30
- Dores irradiando pelo nariz: Causticum – CH30
- Dores irradiando pela testa: Rhus tox – CH3
- Dores irradiando-se para as orelhas: Kreosotum – CH3
- Dores irradiando para os olhos: Causticum – CH30
- Na sensação de esgotamento: Ignatia – CH30
- Nas dores lacinantes: Aconitum – CH30
- Na sensação de picada ou formigamento: Ignatia – CH30
- Dente abalado: Silicea – CH30
- Abalados com dores: Causticum – CH30
- Com tendência a apertar os dentes: Stramonium – CH30
- Tendência à bater os dentes: Baptisia – CH3
- Ranger os dentes: Apis mel – CH3

Nos abcessos:
- Antes da abertura dos abcessos: Hepar sulfur – CH5
- Depois da abertura dos abcessos: Silicea – CH30. Nas cáries:
- Tendência à formação de cáries: Calcarea fluorica – CH30
- Junto ao colo gengival: Calcarea fluorica – CH30
- Nas raízes: Thuya – CH30
- De evolução rápida: Fluoris acidum – CH30

Na carência de esmalte:
- Calcarea fluorica CH30

Na inflamação da dentina:
- Mercurius dulcis CH5

Na Periostites:
- Silicea CH30

Nas gengivas:
- Azuladas: Kreosutus – CH3
- Pálidas: Mercurius corrosivos – CH30
- Vermelhas: Mercurius dulcis – CH5
- Inchadas: Borax – CH5
- Amolecidas: Kreosotum – CH3
- Com aftas: Natrium muriaticum – CH30
- Sangrando: Crotalus herridus – CH30
- Nas gengivas Fistulosas: Silicea – CH3

REMÉDIOS DE USO EXTERNO:

Tinturas:
- Arnica TM – Depois das extrações dentárias
- Cyrtopodium TM – Em casos de abcessos
- Hemmamelis TM – Nas hemorragias
- Hypericus TM – Nas inflamações
- Calendula TM – Nos casos de infecções, picadas, etc.
- Plantago TM – Havendo dores de dentes

Observações: Deve-se fazer bochechos numa solução de uma colher das de sopa para ½ litro com água morna filtrada. Usado também como anti-séptico e descongestionante de mucosa bucal.


Referência: Odontologika