Notícias
Adultos têm medo de ir ao dentista
Embora os tratamentos odontológicos tenham sido aperfeiçoados nas últimas décadas, as pessoas ainda ficam ansiosas enquanto aguardam sua vez de serem atendidas.
Por Agência Notisa

Não é mito: adultos têm medo ou ficam ansiosos quando vão ao dentista. E muitos dos que se sentem assim relatam já ter vivenciado uma situação traumatizante relacionada ao tratamento odontológico. É o que revela pesquisa desenvolvida por Sibele Sarti Penha e sua equipe, da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (USP).

“Uma das dificuldades encontradas pelo clínico durante o atendimento odontológico é o medo que alguns pacientes manifestam ter em relação aos procedimentos que terão curso durante a sessão”. Apesar do aperfeiçoamento dos equipamentos e dos procedimentos dentais e de métodos de prevenção, o relato de ansiedade e dor e/ou desconforto, associado ao tratamento dental, parece não ter mudado com o passar do tempo, dizem.

Foram entrevistados cerca de 250 pacientes que procuraram um serviço odontológico de emergência no município de São Paulo. As entrevistas foram feitas enquanto os pacientes aguardavam sua vez de serem atendidos. “Foram identificados 28,2% de indivíduos com algum grau de ansiedade, em que as mulheres foram consideradas mais ansiosas que os homens; e 14,3% de pacientes com alto grau de medo”, relatam Sibele e sua equipe no artigo. “Experiência traumática anterior ocorreu em 46,5% dos pacientes ansiosos”, completam.

A maioria dos entrevistados disse ter procurado o serviço odontológico de emergência por estar sentindo dor. “A demora para procura de alívio dos sintomas foi maior do que sete dias em 44,4% da amostra. E, na presença de dor, 48,0% dos pacientes afirmaram que somente procuraram ou procurariam atendimento quando a intensidade da dor fosse insuportável”, comentam os pesquisadores no artigo.

Apesar desse discurso, as mulheres ansiosas compareceram ao dentista com freqüência relativamente elevada. Os pacientes com medo, de ambos os sexos, também não tardaram a procurar o dentista após notarem agravos em sua saúde bucal. “Isto sugere que pacientes de emergência que apresentam medo procuram atendimento no início dos sintomas. Esta procura imediata pode representar uma tentativa de sanar a queixa odontológica rapidamente, evitando possíveis complicações e o recrudescimento do quadro”, concluem Sibele e sua equipe no artigo.