Orientações ::
Coleta de Células-Tronco da Polpa do Dente de Leite
"A fada do dente realmente existe!"
Por Dr. Carlos Alexandre Ayoub - Dr. Rafael Fischetti Ayoub - Dr. Celso Massumoto / CCB - Centro de Criogenia Brasil www.ccb.med.br

 

Por que células-tronco da polpa do dente de leite são tão especiais?

A polpa do dente é uma pequena massa de tecido vivo, composta de vasos sanguíneos, nervos e células-tronco. Essas células são denominadas células-tronco mesenquimais multipotentes, o que significa que elas têm a capacidade de se transformar em uma ampla variedade de tipos de células, incluindo:


• Miócitos: reparação do tecido muscular
• Cardiomiócitos: reparação do tecido cardíaco
• Neurônios e células da glia: reparação do tecido nervoso
• Osteócitos: reparação de ossos
• Condroblastos: reparação de cartilagem
• Células epiteliais: reparação da pele e da superfície ocular

Como é feito o armazenamento da polpa do dente e também das células-tronco obtidas da polpa do dente?

Da mesma forma como acontece com o armazenamento das células-tronco do sangue e do tecido do cordão umbilical.

Ao ser extraído, o dente de leite deve ser colocado em um tubo próprio fornecido pelo laboratório (CCB - Único banco a armazenar células-tronco da polpa do dente de leite no Brasil). A polpa será processada e as células-tronco mesenquimais colocadas em tubos de armazenamento.

O armazenamento será feito em 4 tubos, sendo 3 com 100% de células-tronco mesenquimais multipotentes e um quarto tubo armazenará a polpa do dente para fornecer, no futuro, se necessário, mais células-tronco.

Esses 4 tubos serão armazenados em nitrogênio líquido, o que garante uma temperatura constante de -196 ºC, fazendo com que as células-tronco neles armazenadas permaneçam em perfeitas condições de uso por tempo indeterminado.

Vantagens do armazenamento das células-tronco da polpa do dente de leite

Dentre as várias fontes de células-tronco, a polpa do dente destaca-se pelo fato de fornecer células-tronco mesenquimais multipotentes e imunocompatíveis, isto é: elas podem servir não só ao doador, mas também a toda sua família.

A obtenção da polpa do dente de leite é um processo não invasivo e que pode ser feita naturalmente durante o período de troca dos dentes da criança, entre os 5 e 12 anos. Essas células-tronco são células jovens e de excelente qualidade e quantidade, portanto ideais para um futuro tratamento de doenças degenerativas.

São 100% compatível com doador e familiares, são imunocompatíveis; coleta não invasiva e podem ser criopreservadas por tempo indeterminado.